.pesquisar

 

.Fevereiro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
21
23
24
25
26
27
28

.babadices

. escolhas

.babas antigas

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds

.idade do G.

baby growth

.idade da M.

Lilypie First Birthday tickers
Sexta-feira, 13 de Março de 2009

escolhas

Eu sempre fui pessoa ponderada, racional, chata até... :o)) gosto de pensar bem nas opções antes de me decidir.

Desde que conheci o N ele transmitiu-me alguma da sua impulsividade e eu incuti-lhe algum pensar antes de agir.  Depois do G. ter nascido, não só penso antes, como às vezes penso depois, numa de análise para me certificar que tomei/tomámos as decisões certas.

 

Tendo uma casa em venda ha mais de ano e meio é inevitável pensar: será que nos precipitámos? será que deviamos ter esperado pela venda da outra para comprar esta? Com a chegada desta crise, ficámos um bocadinho com o menino nos braços porque nunca, mas nunca nos passou pela cabeça que demorasse tanto, 1º porque o N. é um optimista :o)), depois porque a casa é boa, tem umas áreas muito dificeis de encontrar hoje em dia e tem uma localização optima também e também porque aquelas casas sempre se venderam muito bem.

 

Se custa? claro que custa! pagar 2 casas não é facil (se bem que a descida das taxas de juro foi uma benção, desçam, desçam, desçam!!!!!) e é sempre a acumular despesas....

 

 

se me arrependo? não, não me arrependo, sinto que tomámos a opção que tinhamos que tomar, ou tinha sido naquela altura ou não era, porque a casa para onde mudámos era a ultima que estava á venda naquele sitio. É um sitio optimo,  e para o G. é um privilégio poder crescer num sitio assim com tanto espaço à disposição, temos um ambiente optimo com os vizinhos e muitas crianças para o G. brincar.

 

Tristeza? Alguma... mudámos essencialmente porque era um sítio optimo para criarmos os nossos filhos ...e o meu relógio biológico quer este plural...

E quando penso neste assunto, não posso deixar de sentir que tenho tudo um bocadinho em pause à espera que isto se resolva para deitar mãos ao futuro.

sinto-me: em pause
publicado por maebabada às 10:00

link do post | babadelas | ver comentários (18) | favorito

.links

.idade da M.

Lilypie First Birthday tickers